Browse Episodes

Tecnopolítica #129 – As Big Techs e a luta de classes

Neste episódio, Sergio Amadeu conversou com Carol Cruz, da equipe de Tecnologia da Informação do MST, sobre o dossiê publicado pelo Instituto Tricontinental chamado “Big Techs e os desafios atuais para a luta de classes”. Fruto de um seminário com lideranças de movimentos sociais, ativistas, especialistas, o dossiê mostra os desafios do enfrentamento da financeirização do digital e sua penetração profunda em diversos setores da economia, da cultura e do trabalho. O dossiê está disponível neste link: https://thetricontinental.org/pt-pt/dossier-46-big-tech/

Tecnopolítica #128 – As plataformas produzem gente

Sergio Amadeu conversou com Henrique Antoun, professor titular da Escola de Comunicação da UFRJ, coordenador do grupo de pesquisa Cibercult e integrante do MediaLab da UFRJ. Antoun começou fazendo um balanço da cibercultura e discutindo os caminhos da percepção sobre as tecnologias. Da perspectiva deleuzeana passando por Negri, Lazzarato, Heidegger, Debord e Simondon a conversa imperdível finalizou com a ideia pouco intuitiva de que “as plataformas digitais são fábricas que produzem gente”.

Tecnopolítica #127 – Novos arranjos produtivos e a tecnociência solidária

Nesse episódio do Tecnopolítica, Sergio Amadeu conversa com Renato Dagnino, professor titular da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e um dos principais pesquisadores de Política Científica e Tecnológica do Brasil. Dagnino expôs o conceito da tecnociência solidária e sua importância estratégica para o país. Falou também da classe dominante que funda sua lucratividade mais na extração de mais-valia absoluta do que na inovação, na desarticulação das universidades com a realidade produtiva e nas possibilidades da criação de novos arranjos produtivos baseados na economia solidária.

Tecnopolítica #126 – Os algoritmos beneficiam mais a direita nas redes?

Neste episódio curto do Tecnopolítica, Sergio Amadeu apresenta a pesquisa publicada no blog do Twitter que constatou que os seus algoritmos beneficiaram mais políticos e veículos de comunicação da direita do que os de esquerda. O estudo examinou milhões de Tweets publicados por gestores eleitos em sete países (Canadá, França, Alemanha, Japão, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos). Sergio Amadeu avança sobre a dinâmica dos sistemas algoritmos e mostra os riscos da opacidade, da não-explicabilidade e dos desvios das redes neurais que podem estar derretendo as bases da democracia.